Chama da Unidade para Símbolo da Bandeira Nacional

Estive a pensar no concurso que a Assembleia da República irá lançar brevemente para propostas de símbolos e cores da bandeira nacionais.

De certeza virão por aí artistas plásticos equejandos, singulares, homens da igreja e todo o cortês de pessoas interessadas em ganhar o concurso, à custa da sua criatividade claro.

Mas, para além de devaneios, precisamos de dizer que os símbolos anteriores foram ambiciosos e não conseguiram lograr bons resultados: ao lado de uma enxada que pretendia acabar com a fome e o subdesenvolvimento; a arma não derrotou o inimigo, antes pelo contrário, trouxe-o à mesa das negociações; muito menos o livro, que não foi acessível à todos. Continuamos analfabetos e continuaremos assim por mais tantos anos.

Há um objecto em torno do qual todos nós, ricos e pobres, dirigentes, dirigidos; crianças, velhos; enfim, todos nós nos curvamos, sem devaneios e recticências perante uma coisa que se chama “chama da unidade nacional”. Sinceramente, está a fazer furor. Ninguém contesta. Todos correm atrás dela. Até Presidentes de Municípios tentam monopolizá-la. Sinal de grande importância e simbolismo.

PORQUÊ ENTÃO SOFRER? A minha proposta seria que ela fosse o nosso SÍMBOLO NACIONAL. Aparecesse na bandeira e, à semelhança do anterior, constituisse símbolo do poder.

Se concorda, passe a palavra.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O tempo da comunicação

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA