Soldados da Renamo

Vi a Conferência de Imprensa dada pelo Líder da Renamo Afonso Dlhakama ontem a noite, na televisão, dando conta de que os soldados da Renamo estavam sendo alvos da marginalização das FADM. Fiquei perplexo. E perguntei-me à mim mesmo: a Renamo ainda continua como força armada? Pensei que tivesse terminado com a assinatura do Acordo Geral da Paz? Será que a Frelimo também tem suas forças dentro das FADM?

Logo aprcebi-me que aquele senhor foi feito para a guerra e não para a política. Quando for para falar de assuntos ligados à Guerra, o Sr. Dlhakama é exímio, até o ponto de reclamar a paternidade de parte de oficiais bem colocados nas FADM.

O que falta saber é que até quando as forças serão partidarizadas? Pensava eu, que o único momento em que as forças armadas foram partidárias terminou com a formação do primeiro contingente militar treinado em Nyanga – Zimbabwe! Ainda continua Dlhakama a reclamar de seus oficiais. Será esta, a melhor estratégia de reagir ao “descasque” que sofreu na noite anterior, em que Marcelino dos Santos o chamou de bandido e obrigo-o a pedir desculpas ao Povo Moçambicano?

Em vez de reagir à esses factos, ele desviou-nos para um problema fútil e extemporâneo. As FADM servem ao Estado e não estão aos serviço da Renamo nem da Frelimo.

Dlhakama vai se desintegrar...é só uma questão de tempo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cronologia Política de Moçambique (1). Desde 1960 até 1975: um esboço

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.

Cronologia Política de Moçambique (2). Desde 1976-2001