Fórum Social Moçambicano. Que expectativas?

Nasce em Moçambique, um Fórum Social Moçambicano, o culminar de todo um processo de lutas sociais.
Por lutas sociais quero me referir à todo um conjunto de lutas pela justiça social, este bem que o neoliberalismo, sob todas suas formas, tenta silenciar, aliás, remeter à total ausência.

Eu sempre estive ao lado deste processo, desde que fundei este blog em Maio de 2005.
Espero que este fórum seja de facto um fórum e não um simples foro.
A avaliar pela dinâmica do movimento associativo moçambicano, para que este Fórum tenha sucesso, é preciso que tenha uma liderança forte.

Uma liderança que não se coopte pelo discurso anestesiante. É preciso que o Fórum prime pela luta social, priorize a divulgação das vozes dos oprimidos; busque alianças internacionais que ajudem a divulgar ainda mais tudo o que impede o desenvolvimento social em Moçambique.

Se os líderes deste Fórum priorizarem workshops patrocinados pelo Banco Mundial ou FMI ou organizações não governamentais dos países da OCDE ou mesmo da União Europeia, então teremos mais um simples foro, prenhe de ideias cooptadas. Por fim, teremos líderes que viajarão para Nairobi, Porto Alegre, Mumbai, Caracas, apenas para ganhar mais dólares da diária.

Precisamos um FSMoc que funcione e trabalhe.Um FSMoc despartidarizado, pois este Fórum já tem ou devia ter sua própria e funcional ideologia.
Precisamos um FSMoc que priorize a investigação alternativa, busque e potencie o conhecimento sobre as novas formas de produção não capitalista; crie sinergias entre grupos silenciados; sindicalize as classes sociais mais desprotegidas, desconstrua a colonialidade reinante - do cabo ao rabo - , e, acima de tudo, saiba que se trata de um desafio: busca de uma alternativa de Moçambique!

Deste lado, estarei atento, mesmo que seja para denunciar o FSMoc.
Um abraço emancipatório ao Fórum.
Para os que pretendem visitar o FSMoc, por favor, cliquem aqui.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.

Aprender de Angola? Que lições?