Quando a irresponsabilidade vira Arte - o Caso do ZIco

Maboazudas. Negra mulata leva...até a albina...
Nma das canções do Zico, intérprete, produtor e músico moçambicano, diz ele que não tem escolha. Gosta das mulheres. Nasceu assim. Continua... nasceu assim...não tem culpa.
A canção está a levantar problemas de toda a sorte. Uns contra, outros a favor, e ainda outros a compreendê-lo.
Eu manifesto-me contra todas as formas de discriminação. E não podemos compreender um shangana falado em Português- língua que Zico fala na música -com toda a carga discriminatória à volta.
Arte não implica irresponsabilidade.
Mostrar e retratar a sociedade não implica a prática de obcenidades em público.
Criticar práticas discriminatórias não implica mostrar como se faz.
Enfim, á irresponsabilidade de um artista é imputável à este e não á sociedade.
E ainda querem que compremos os seus discos!

Comentários

tina disse…
Essa questão da musica do Zico, para mim merece a nossa refleccão. O importante aqui, não é estar contra ou favor da musica, mas nos esquecamos que estamos a lutar contra os preconceitos. Ainda que sem querer, ou mesmo sem ter consciencia disso, o Zico fere nossas sensibilidades, pelo menos a minha. A letra não tem conteudo serve somente para abanar o esqueleto como ouvi em algum lugar.
Continuemos a pensar e repensar na sociedade que estamos a construir
Egidio Vaz disse…
Concordo consigo. Mas sobre a responsabilidade individual no exercicio das liberdades deve ser uma questao, acima de tudo, premente. E o Zico deve ser responsavel pela sua irresponsabilidade.

Mensagens populares deste blogue

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA

Aprender de Angola? Que lições?