Ja é oficial, Padre Filipe Couto é Reitor da UEM

Depois do Padre Brazão Mazula, veio Padre Filipe Couto
O Padre Jesuíta e membro da Frelimo, Filipe Couto é o novo Reitor da Universidade Eduardo Mondlane. Couto, também foi Reitor da Universidade Católica de Moçambique e, à data da sua nomeação, assumia as funções de Assessor do Ministro da Educação e Cultura, Bonifácio Aires Aly.
Pe. Couto é tido como um homem tenebroso, implacável com a desordem e duro nas suas decisões.
Estou frio. Por isso preciso de fôlego para escrever melhor. Mas a sede de, muito cedo anunciar aqui neste blogue antes dos outros manda-me parar por aqui.
Veja a sua última entrevista dada ao Semanário SAVANA, onde dizia que em Moçambique não existia multipartidarismo mas sim um partido grande

Outros Despachos
Num outro despacho, o Chjefe do Estado nomeou Jorge Manuel Ferrão para Reitor da Universidade do Lúrio. O Presidente da República nomeou, ainda, Erasmo Muhate para o pelouro de Ministro da Agricultura, em substituição de Tomás Mandlate, ora exonerado.
Para quando a remodelação Governamental?
Está para breve.

Comentários

miazuria disse…
É padre/jesuíta e membro da Frelimo?

Desculpe a minha ignorância, mas a Frelimo já aceita religiosos no activo omo membros do Partido?

Mudou muito mesmo!!!

Se o meu saudoso amigo Cangela de Mendonça (bom, competente e honrado homem) soubesse....

Os meus cordiais cumprimentos.
Egidio Vaz disse…
Sim Miguel,
É Padre, Jesuíta e no activo. Membro da Frelimo sim, desde a Luta Armada Nacionalista (1964-1974)
Porque não foi ainda excomungado, presume-se que esteja no activo-e na verdade está, pois, o anterior, Brazão Mazula abandonou o sacerdócio e casou-se.
Meu irmão, a comunidade acadêmica anda neste momento muito agitada, principalmente a da Universidade Eduardo Mondlane.
Rui Martins disse…
é a dança das cadeiras...
tb temos cá disso! :-)
Egidio Vaz disse…
Chama a isso dançá de cadeiras? Isso não e. Isso e puro atentado a liberdade do pensamento, aqui personificado pela Universidade!

Mensagens populares deste blogue

O tempo da comunicação

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA