O Grande Português


No concurso da RTP Os Grandes Portugueses, Salazar foi a mais votada das personalidades em jogo, com 42% dos votos, seguido de Álvaro Cunhal, com 19%, e Aristides de Sousa Mendes, com 13%. No entanto, o concurso é desvalorizado por historiadores como José Mattoso, António Reis, António Manuel Hespanha e Fernando Rosas, entre outros, que acusaram a RTP de desinformação e manipulação num texto publicado no jornal Expresso. Por seu turno, em declarações ao Diário de Notícias, Nuno Santos, director de programas da RTP, considera que a acusação é de mau gosto e revela má-fé.
Isso é o mesmo que um dia Ngungunhana como o Grande Moçambicano! Faz-me arrepiar os cabelos.
Entre os moçambicanos, Salazar será lembrado como o grande colonialista; arquitecto e estratega dos crimeis mais hediondos contra a afirmação nacionalista do povo moçambicano. E do povo Português também.

Comentários

jf disse…
Viva!

O post faz um óptimo resumo do problema. Felizmente não foi conferida, desde o início, grande credibilidade ao concurso e, felizmente, só alguns ignorantes votaram (muitos dos quais sucessivas vezes).

Mas o que aconteceu não deixa de ser uma vergonha. Felizmente que a maioria (ou pelo menos espero que seja uma maioria) silenciosa que não quis saber do concurso se lembra do Salazar como um ditador, responsável pelo atrofiamento de liberdades fundamentais, pela repressão e tortura de milhares de portugueses e africanos, por uma guerra absurda que atrofiou as expectativas e o futuro de milhares de jovens dos dois continentes, pelo isolamento internacional, pela pobreza e pela ignorância, por milhões de emigrantes que fugiam à guerra e de um país que não proporcionava um futuro digno. Célebres ficaram os slogans do regime como a “pobreza sã”, o “Deus, Pátria e Família” ou do “Fado, Futebol e Fátima” responsáveis, ainda hoje, pela ignorância e por graves índices de iliteracia. Curiosamente, o slogan “do Minho a Timor” foi imaginado por alguém que, a única vez que saiu do país, foi para se reunir em Espanha com Adolf Hitler. Até nisso se compreende o seu carácter avarento, mesquinho e bolorento. Por tudo isto, há que estar atento e não desresponsabilizar o fascismo.
Um abraço!
Gabi disse…
jf disse e muito bem tudo o que disse. Salazar foi mais um dos tais homens que, como soi dizer-se, atiram a pedra e escondem a mão. Felizmente ainda há muitos portugueses que não perderam o seu tempo a acompanhar tal concurso indigno de uma televisão estatal apesar de se menterem informados sobre "o andar da carroça". Lembro-me bem de todos os slogans referidos por jf e até de uma frase que lhe era atribuida numa anedota "Sacrifiquei o Povo mas salvei a Pátria!"
Irra, que Hosi nos proteja e livre de tais grandes homens como estes seja o Ngungunhana, seja o Salazar. A mim também se me arrepiam os cabelos!
Egidio Vaz disse…
Mas poderá me dizer qual éra o objectivo final desse concurso? Acho eu que cada época da história de um povo, há semopre um GRANDE INDIVÍDUO. Ora, estaria claro que em democracia Salazar teria o seu lugar, no banco dos réus.
Por outro lado iumporta questionar: QUEM COLOCOU O SEU NOME COMO UM DOS CONCORRENTES? Ou por outra, terão os nomes surgido à toa,sem nenhum regulamento?
Egidio Vaz disse…
Perdão pelos erros ortograficos. Mas a questão é pertinenete.
Stran_ger disse…
Vou fazer um pouco de advogado do diabo (não de Salazar mas da RTP). O concurso foi importado da Inglaterra e a regra é que durante um certo período as pessoas nomeavam e votavam em quem queriam (se quisessem até na vizinha). Destes ficaram os dez mais votados onde infelizmente ficou incluido Salazar que acabou por ganhar. Mas era apenas isso um concurso (que pode ser parvo, mas apenas isso). No entanto existiu dois aspectos positivos. Primeiro ficou-se a conhecer melhor a vida de Aristides de Sousa Mendes e depois, também muito importante discutiu-se o Estado Novo e Salazar. É que infelizmente tentamos "apagar" da memória o nosso infeliz passado recente (Estado Novo) e isso deu espaço a que se criasse uma nova mistificação da figura de Salazar que até ao momento era mais ou menos encoberta. O concurso teve o condão de dar a essas pessoas a coragem de falar o que para nós foi optimo, foi uma estalada na cara e um acordar para uma realidade que se não for combatida pode ser perigosa.
Os movimentos de extrema-direita estão a ganhar peso um pouco por toda a Europa e Portugal não é excepção. O concurso pode ser parvo mas o facto de ainda existir pessoas que defendem Salazar já não é assim tão parvo e é perigoso. O concurso teve o condão de nos acordar para essa triste realidade
Egidio Vaz disse…
Muito boa explicação Stran.
Na verdade, também tenho me batido com essa gente nos seus próprios blogues. São os casos de Arqueofuturista Online e Máquina Zero. Outros há, menos radicais.
Portugal como a Europa inteira, precisa de lidar com esse assunto com muita seriedade e urgência!
Não se pode admitir que pessoas cujo carácter atenta às demais liberdades individuais (incluindo a de procurar melhores condições de vida) como a migração e casamento interaciais,pululem por ai e votem sozinhos em Salazar, para depois dizerem que "foi o povo".
Stran_ger disse…
Eu sei. Aliás foi assim que eu fui ter com o blog do maquina zero onde tenho comentado alguns posts. Aliás aquele é o radicalismo que mais me preocupa pois esconde-se numa fachada de aparente normalidade e defendendo posições que são antisociais. É que fingindo que são contra sistema conseguem uma melhor aproximação nas camadas mais jovens onde, de facto, estão a ter ganhos (já conseguiram reunir pessoas suficientes para se candidatarem a uma associação de estudantes da faculdade de letras).
Aliás já pensei criar um site/blog que reunisse pessoas para se manifestarem contra estes sites. A partir desse site/blog poderiam existir movimentações mais concertadas de forma a demonstrar que o que essas pessoas defendem não é nada mais do que a ditadura. Mas ainda é só uma ideia ainda tem de amadurecer.
Este é um dos problemas que me assusta pois embora demore muito tempo a crescer pode acontecer que quando despertarmos que seja tarde demais.
ninozaza disse…
O maior potuguês de sempre é o José Mourinho. Sinto muito pena deste povo com mente pequena ao lado dos cabo-verdianos devem ser um dos povos com maior número de imigrantes e ainda querem dar-se ao luxo de brincarem a racistas.
O Embaixador disse…
Acho que o resultado reflete o que os Portugueses pensam dos seus governantes e apenas quiseram dar uma liçãozita ao pseudo-governo que têm. Como não votei neles posso cantar de galo. Meu pobre País!
Reginaldo disse…
QUEM COLOCOU O SEU NOME COMO UM DOS CONCORRENTES?
Ora aqui está uma questão democrática.
Egidio Vaz disse…
Voltou á carga mas com do mesmo barco. agradecia que elaborasse mais sobre as questões? É assim em democracias.
Anónimo disse…
sempre se soube que os Portugueses 'sem animo de ofender' nao sao gente de mtas 'luzes'.. Para nao dizer outras coisas!

Alem de nao explicar.m cmo o nome dele conseguio tar na lista, n m explico como pode ter ganho!
[Viva os Tugas e as mentes 'paradas no tempo'deles]!
Português disse…
Por acaso gostava de ver um concurso destes aí em Moçambique.
Parece-me que iam ter uma surpresa.
Egidio Vaz disse…
Concurso desses serei veementemente contra. Principalmente por causa dos criterios (ou ausencia deles) de seleccao de candidatos. Por isso, nao sera de desejar.
Eurico disse…
Gostava de ver a conta telefónica dos dirigentes do PNR!!! LOL Devem ter votado mais de 500 vezes cada uma!

Mensagens populares deste blogue

O tempo da comunicação

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA