Polícia da República de Moçambique rende-se à audácia dos Criminosos

Foi ontem anunciada a extinção da Brigada Mamba, criada para combater o crime violento, desmantelar redes de criminosos bem como o tráfico ilícito de drogas.
Criado em 2005, a Brigada teve todos meios para o fazer: carros, armas, algemas, informantes, tudo. De facto, identificaram tantos criminosos, mataram alguns, prenderam outros, mas a maioria acabou sendo de novo solta. Segundo o Vice-Ministro do Interior, José Mandra, a extinção da Brigada acontece porque a sua missão terminou.
Portanto, Mandra sugere que o crime na cidade de Maputo e Matola, já não existe! Obrigado Excelência.
Mas Pedro Cossa, seu Porta-Voz, reconhece que trata-se de uma medida que visa salvar os poucos Polícias que restaram.
É que de algum tempo a essa parte os tais Polícias Mambas deixaram de sê-lo para assumir a condição de meras caças. Eram os polícias a serem caçados. Desde 2005 a essa parte, morreram mais de 10 polícias vítimas de baleamento por criminosos sendo o evento mais espectacular, o baleamento do Comandante da Brigada, Isaías Tchavane, em Junho de 2006!
O resto explica-se. Ataque de nervos, medo, sofisticação de criminosos, sendo a última constatação, da responsabilidade de Arnaldo Chefo, Porta Voz da PRM-Cidade do Maputo, quando disse que os criminosos estão sendo mais audazes em relação à PRM (Polícia da República de Moçambique.

Comentários

ilídio macia disse…
MARAVILHA!

Mensagens populares deste blogue

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA

Aprender de Angola? Que lições?

O tempo da comunicação