Enquanto os outros votam

Eu tentarei perceber o seguinte:

O que pensam os políticos quando se entregam à “causa justa” da nação ou do Município? Que matemáticas fazem eles, à sua vida e ao seu futuro?

Que equações fazem para a possibilidade de vitória ou derrota, Captura e prisão perpétua?

Porqê Mandela, após 27 anos de prisão, preferiu governar apenas 5 anos e deixou o resto para a “confusão" Mbeki/Zuma?

E porquê Mugabe, após libertar o país na companhia dos outros, se apegou ao poder até de novo assistir a sua destruição?

Há um debate aqui e aqui.

Eu ainda não encontrei resposta para estas perguntas. Senão iria comentar.

E já agora, aviso que não irei votar amanhã. Estas perguntas são suficientes para me ocupar todo o dia da qaurta-feira.

Espero ter feito a melhor opção. Se não tiver, também não será o fim do Mundo. Tantos outros assim o farão.

Até depois de amanhã.

PS: Pessoalmente, nunca me interessaram estas autárquicas. Com tanta bandalhada do lado da oposição, está claro que o partido no poder tirará proveito. Apenas estarei atento aos resultados da Beira, minha cidade adotiva. 

Comentários

Anónimo disse…
Viva.

Uma olhada no: www.muliquela.blogspot.com

Obrigado
X!mb!t@nE disse…
Receio acompalha-lo, Egidio. Vou aproveitando o resto do tempo para reflectir melhor. Mas seguramente que estarei atenta aos desenvolvimentos da cidade/municipio que também adoptei: Beira!
Júlio Mutisse disse…
Egídio e Xim,

O voto é uma das manifestação de cidadania. Pode manifestar o nosso apresso a um ou outro candidato ou partido. Através dele podemos também reivendicar. Mostrar o nosso descontentamento. Uma dessas formas é o voto em branco.

Se a abstenção e suas causas ainda não geraram consensos em Moçambique,o voto em branco pode ser a manifestação de que o voto já não é um mero acto mecânico; é um acto consciente. Tão consciente que não abdicamos dele, mas optamos por usá-lo de forma diferente e não é benefício de qualquer candidato.

Por isso meus irmãos. Vão lá votar.

JSM

PS: a propósito onde é que se recensearam? Posso vos dar um estímulo: enquanto esperam "mamamos" castanhas que minha mãe troxe de Mandlakazi. O que acham?
Reflectindo disse…
Caro Egídio,
Essa é uma decisão pessoal e merece respeito, embora eu ache melhor como o Mutisse. O voto branco vale mais que abstencao. Em Mocambique já experimentámos o boicote em forma de abstencao por várias vezes e o resultado tem sido de produzir mais arrogantes que obrigam a muitos, sobretudo, os menos informados, a dizerem vivam OS ARROGANTES. Portanto, acho ter chegado o momento de experimentarmos uma outra medida.
Egídio Vaz disse…
Caros amigos. Cedi à vossa pressão e fui votar em branco. Tenho o dedo pintado e, se quiserem, mostro-vos em foto.
Por outro lado,e stou satisfeito com a vitória de Deviz Simango na Beira. Que a Frelimo iria "chamboquear" a Renamo já sabia. A única coisa que agora rezo para que aconteça é a pressão que se deveria exercer sobre Afonso Dhlakama para fundasse outro partido se quiser, e deixasse a Renamo para os competentes.
Abraços e voltarei ao último ponto. AGora deixe-me festejar.
Bayano Valy disse…
caro vaz,
regozijo-me que tenha escutado as minhas palavras. pelo menos votaste em branco. a democracia é isso mesmo.
abração

Mensagens populares deste blogue

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.

O tempo da comunicação

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA