"Aproveitar o dividendo demográfico através de investimentos na juventude"

Hello, Dia de África.

Hoje é o dia de África. O continente mais jovem em termos populacionais e mais pobre do ponto de vista económico, porém, muito rico em recursos minerais. O lema escolhido para este ano não podia ser o melhor. África tem mais ou menos 70 anos de idade de independência. Uns países mais velhos que outros. A verdade é que ela é o primeiro continente habitado pelos hominídeos – os mais antigos representantes da humanidade conhecidos e próximos: há mais de 7 milhões de anos.
A exploração da África pelos povos estrangeiros iniciou-se pouco antes da nossa era. Estou a falar de mais de dois mil anos de exploração e subjugação estrangeira, ou seja, um processo insidioso de pauperização dos povos africanos. Ao pensar no primeiro século da independência, devemos ajustar as nossas expectativas e ter sempre em mente que o processo de recuperação da africanidade é longo, penoso e compreensível apenas aos audazes. Muitos vão achá-lo inverosímil, preferindo corta-matos. Outros lançarão as mãos à base para construir uma nova África, começando com o que melhor ela possui: suas gentes.
Queria, para terminar, contar uma pequena história real e que aconteceu comigo: há mais de 20 anos, um tio meu queria vender a sua mota. A mota tinha mais ou menos 20 mil km de estrada. Um amigo dele aconselhou que com aquela quilometragem era quase impossível vender a mota a bom preço. Portanto, tinha que reduzir a quilometragem para pelo menos 6 mil km para que ela fosse vendável. Ora, isso tinha que acontecer manualmente, girando a roda da frente no sentido anti-relógio. E…tinha que ser eu, que nunca subi a mota dele, a girar a roda 14 mil km "backwards"! Podem imaginar o que aconteceu….fugi e fui para casa do meu pai.
É isso o que está a acontecer com a África. São longos anos de exposição a todas formas de exploração e o caminho de recuperação será igualmente longo. Porém, irreversível. O investimento na juventude pode ajudar a acelerar o passo.
Pegue um minuto e visite a página da Uniao Africana em https://www.au.int

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O tempo da comunicação

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA