As metarfoses Sibindescas

Hoje resolvi trazer um texto escrito em 2004, último mês, pelo actual Presidente do PIMO-Oposição Construtiva, Ya-Qub Sibindy, em reacção aos resultados das eleições que deram vitória à Frelimo e seu candidato, Armando Guebuza. Por uma simples razão. É que se compararmos o discurso daquele, feito em 2004, podemos ver que Ya-Qub fez uma viragem vertiginosa, daquelas de 360 graus. Ao partido que acusava-o de ladrão de votos, hoje é seu grande aliado. Até pude oferecê-lo dinheiro no âmbito do último Congresso tido em Quelimane. Em troca, Ya Qub, foi "Estagiar". Hoje, Ya-Qub marca audiências para agradecer ao Presidente da República, pelo seu empenho no combate à Pobreza Absoluta do País. E processa Dhlakama acusando-o de um belicista nato. Aliás, foi ele quem propôs a purificação de Dhlakama pelas águas da democracia! Eis então, o texto:

O PIMO apela aos políticos e toda a sociedade em geral para não reconhecerem as instituições que advirão desta farsa, por serem ilegítimas e antidemocráticas.

O próprio presidente que se pretende eleito, consciente da sua ilegitimidade, ao invés de procurar investir no programa de acção do governo, preocupar-se-à mais na sua segurança pessoal, por temer o povo que o toma como um simples golpista.

O PIMO fala de cabeça erguida, interpreta a democracia, conhece os seus princípios uiniversais. O PIMO está com a maioria que negou confiar em qualquer partido político para formar governo.

Voltaremos ao povo à busca da razão desta negação. Dirigimo-nos ao povo, intelectuais e a sociedade em geral, para não se deixarem instrumentalizar, por serviços que prestam no aparelho do Estado e/ou terem se beneficiado de bolsas de estudo, algum financiamento ou crédito bancário.

O governo não faz nada mais que a sua obrigação a favor do cidadão. O PIMO não fala como um derrotado. Não fomos derrotados porque o povo não se pronunciou. Ninguém pode outorgar-se como vencedor de uma taça de natação numa piscina sem água, que é o povo. O PIMO não reconhece os resultados ontem divulgados por não dizerem nada ao povo.

O PINO exige que haja um recenseamento de raiz, uma profissionalização do STAE e uma CNE despartidarizada.

O que hoje assistimos é apenas uma vergonha e uma burla ao povo. O STAE é uma burla à opinião pública. A CNE é uma vergonha, não pode decidir a bem do povo, por decidir com o voto da maioria, prende-se ao partido governamental, por isso, não serve os interesses do povo, é uma ponta de lança da Frelimo.

É um segredo aberto que até o próprio presidente da CNE seja um militante do partido Frelimo.

Ya-qub Sibindy – 22 de Dezembro de 2004.
Importe o Jornal em que isso ficou gravado aqui

Comentários

Marcio Pimenta disse…
Caro Egídio,

Estou precisando de uma pequena ajuda sua. Como deve saber, estou fazendo meu doutorado no Chile, terra muito boa para se discutir a América Latina. A disciplina Guerra Fria me passou um trabalho sobre os impactos da Guerra Fria na África. você tem algum material sobre o assunto? Se tiver, por favor, me envie para: contato@marciopimenta.ecn.br

Desde já te agradeço pela ajuda.
chapa100 disse…
este classico vai dar muito que falar e ler. quem nao tem cao caca com gato. e o gato do sibindy e muito preguicoso e fartou-se de comer ratos agora quer queijo.a minha avo dizia: o gato que nao caca ratos, tem que cacar baratas, se nem isso sabe fazer pintar o gajo de coelho. pelo menos vai parecer um animal esperto.
Tsin Tsi Va disse…
Bem tirada esta caro EGIDIO!!

Mais uma vez só lamento sermos tão poucos com acesso (e procurando) informação...

Mas enfim, 80% de abstenção nas últimas eleições mostraram claramente que de burro o povo têm pouco.Infelizmente anda PREGUIÇOSO (nova moda do Guebuza) para fazer as coisas mudarem....

Curto e Grosso tenho dito...
Egidio Vaz disse…
O povo não anda preguiçoso. Quem anda, isso sim, desnorteado, é a própria liderança do povo, que não sabe bem como acabar com aquilo que prometeram: Pobreza. Com os meios que nos deram, é impossível, a não ser à nível de relatórios.
Chapa 100: Boa essa, vou apanhar a sua boleia para dizer que Sibindy não vai apanhar nem barata, muito menos conseguirá pintar-se de coelho nos próximos pleitos eleitorais.
Para que isso seja possível, deverá procurar um outro povo moçambicano, se calhar "um eleitorado construtivo" porque esse, ou é da Frelimo, ou da Oposição, ou obsentista, ou mesmo ignorante, no sentido d eque não se rala com a política.

Mensagens populares deste blogue

O tempo da comunicação

PENSAR NA PAZ SABENDO O QUE FAZER: ENTRE O VAZIO DAS PALAVRAS E O BELICISMO, A TERCEIRA VIA

Gwaza Muthini, na forma como a conhecemos hoje é um BLUFF HISTÓRICO.